Terms & Conditions

English

The aggregation services provided by odds.dog plataforms are provided exclusively under consideration of the following terms and conditions:

Services

  • Adlytics, LDA is the legal owner of odds.dog.
  • Odds.Dog is a purely informative site about sports betting, casino and online poker.
  • Odds.dog is not and will never be a bookmaker, under no circumstances can you make deposits or place bets for money at Odds.dog. Odds.dog does not operate any online gambling services. All information contained on Odds.dog should only be used for informational purposes.
  • Odds.dog does not guarantee the accuracy of the information contained on the website. The use of the information is the sole responsibility of the visitor and user of the website. The visitor reveals that he/she has full legal capacity and recognizes that he/she is solely responsible for his actions and decisions.
  • The content of comments placed in the articles and pages of the Website is the sole responsibility of the author, and no responsibility can be attributed to Odds.dog.
  • To visit Odds.dog, the user must be, at least, 18 years of age or any other minimum legal majority in the jurisdiction in which the user is concerned. 

Use of the website

  • Use of the Odds.dog website is for personal use only. In other words, any commercial use is expressly prohibited.
  • It is prohibited to publish, reproduce, transmit or distribute in any medium or in any form, in whole or in part, any component of the Odds.dog website, whether in the form of composition, graphics or images, without the express authorization of Odds.dog.

Data protection

Governing Law

  • These Terms and Conditions (including any variation of modification) shall be governed by and construed in accordance with the laws of Portugal. You irrevocably agree to submit to the exclusive jurisdiction of Portugal Continental Courts to resolve any disputes or issues arising out of or related to these Terms and Conditions, Privacy Policy and/or their applicability.

Modification of Terms of use

  • Odds.dog reserves the right to modify its website’s Terms of Use at any time. It is Odds.dog’s responsibility to promptly update the current terms of use on the site.
  • It is the user’s responsability to check back regularly for any changes. 
  • It is the user’s responsibility when signing up to a Poker, Sports betting, or Casino website to make sure that he/she agrees with the terms and conditions of that website. The user must confirm if he/she is not contravening any rules/laws that the Poker, Sports betting or Casino websites or the territory/state/country in which he/she resides.
  • Odds.dog is nor responsible for any kind of problems regarding offers and bonuses in the Sports Betting, Casino and Poker websites it advertises.

Final Provisions

  • If any part of these Terms and Conditions is held invalid, illegal, or unenforceable in any aspect, it will not affect the validation or execution of the rest of the Terms and Conditions.
  • Users can unsubscribe to our newsletter at any time. Only users that choose to subscribe it will receive our email marketing campaigns.
  • Adlytics, LDA has the right of, at any given time, transfer all or part of their services to a third-party system. If this does occur, users will be informed by a registered email.

Responsible Gaming

  • Being responsible in relation to games of chance means knowing if you want to play, how to play, and how much money you can afford to spend.
  • Spending too much time or money on gambling and/or betting, can cause serious problems. Before playing, you should be informed about the potential risks involved in gambling and/or sports betting and how to deal with them.

A responsible player takes the following steps

  • Makes sure he/she knows all the details of the game he/she is going to play.
  • Plays for fun, not as a way of making money or warding off trouble.
  • Decides in advance how much time and money are to be spent.
  • Knows that, in the long term, he/she will likely lose more than win.
  • Does not try to chase or recoup losses.
  • Plays with money that is destined for entertainment purposes.
  • Never uses money destined for monthly expenses, household income, and/or food.
  • Does not borrow money to play or bet.
  • Does not allow gambling to affect his/hers relationships with family and friends.

Ways to keep betting and gambling under control

  • Decide in advance how much money you will play with.
  • Set a time limit during which you will play.
  • Play with the knowledge that you are likely to lose more often than you win. Make sure you are playing with money you do not need.
  • Make knowledge-based decisions – know what the odds are.
  • Consider gambling as entertainment – ​​not a way to make money.
  • If you win a grand prize, rejoice! But remember that it probably will not happen again.
  • Do not play when you are tired, bored, or anxious.
  • Take note of how much time and money you spend playing.
  • Take your family and friends seriously. If they are worried about your gambling habit, it could be because they see something you do not.
  • Only use your own money to play. Do not borrow it.
  • Please understand that in most games you do not control the outcome of the game – it is random.
  • When you are playing, take breaks – walk, eat, go outside to get some air, and unwind.
  • Keep a cool head when playing – limit your alcohol consumption.
  • Balance gambling and betting with other leisure activities.
  • Do not try to recover what you have lost, as that will likely create a bigger issue.
  • Make your own decisions about gambling and/or betting. Do not play just because others pressure you to.
  • Do not use gambling and/or betting to avoid negative feelings or situations.
  • Talk to someone you trust if you are worried about your gambling and/or betting habit.

Self Test

Here is a quick test developed by the World Health Organization (WHO) to see if you are at risk of becoming addicted to gambling:

  1. Has there ever been a time in the past 12 months when your betting or gambling interfered with your work or your responsibilities at school, work, or home?
  2. In the past 12 months, has your betting or gambling ever caused repeated arguments or other serious problems with your family, friends, neighbors, or co-workers?
  3. Has there ever been a time in the last 12 months when you tried to hide how much you’ve been playing from your family or friends?
  4. Have you ever claimed to be winning when in reality you were losing?
  5. In the past 12 months, have you ever had periods where you spent too much time thinking about the game when you really should have been thinking about other things?
  6. In the last 12 months, have you ever had periods where you spent too much time planning your bets or studying betting odds when in reality you should be doing other things?
  7. Over time, did you have to increase the amounts you were betting or playing in order to keep the game exciting for you?
  8. Was there a time in the past 12 months when gambling or gambling was a way of getting out of a bad mood or improving your mood?
  9. In the past 12 months, have you ever gambled or gambled frequently to escape or stop thinking about personal problems?
  10. In the last year, after losing money on gambling, was it often the case that you went back to gambling the next day to try to recoup the money you lost?
  11. At a time when you had a large gambling debt, did it occur to you to bet more and more in the hope of recouping your losses?
  12. Have you ever tried to acquire gambling money by writing bad checks, stealing, or doing anything that would be considered illegal?
  13. In the past 12 months, have you repeatedly tried to borrow money from your family or friends to support your gambling habits or to pay off your gambling debts?
  14. Has it occurred to you in the past 12 months that you have often had such a strong urge to gamble and gamble that you couldn’t resist or kept you from thinking about anything else?
  15. In the last 12 months, has it ever occurred to you that you have gambled, even though you knew you had promised yourself that you would not, or did you gamble much more or for a longer period than you initially intended?
  16. Not just in the last 12 months, but throughout your life, how many times have you seriously tried to cut down on playing games or how many times have you seriously tried to stop playing (never; 1; 2; 3; 4; 5; multiple times)?

Finally, if you answered yes to the previous question (16):

  1. Has trying to cut down or stop betting made you feel restless and irritable?
  2. Since you first tried to cut down your bets or stop gambling, what has been the longest period of time spent without a game (years/months/days)?

The more yes answers, the bigger your gaming problems.

Information and Help in Portugal

The problem of gambling isn’t just about losing money – it’s also about how it can affect a person’s entire life.

Information:
jogoresponsavel.pt

Help Groups:
jogadoresanonimos-com-pt.webnode.pt

Remember: Money gambling is considered fun when there is control and pleasure in the act itself; however, it is no longer considered as such when it implies suffering, lack of control, and, consequently, the loss of freedom of decision.

Odds.dog is here to help you

Finally, if you think you have a problem with gambling and/or sports betting, or you know someone with gambling problems, complete or ask your acquaintance to complete the questionnaire we left above. If the result is indicative of an underlying problem, visit the Portuguese Responsible Gaming website or, alternatively, the Gamblers Anonymous website, for which we have left you the links above, and ask for help.

The game becomes a crisis when it stops being just pure fun and becomes part of your life in a compulsive way, becoming an addiction. Thus, the expectation generated by betting leads the player to have a feeling of euphoria and pleasure.

At the same time, he begins to think he is invincible and, consequently, to believe in the impossibility of defeat, thinking only of positive results and the existence of a good chance of winning the best prize. When they lose, the dependent gambler usually returns to bookmakers to try to get their money back, believing they will have better luck next time.

In conclusion, don’t forget that compulsive gambling is a disease, progressive in nature, that cannot be cured, but can be stopped, provided that it is properly identified. It is important for society to stop stigmatizing these types of mental health problems so that seeking help is no longer seen as taboo.

Português

Aviso Legal

  • Em primeiro lugar, o Odds Dog é um site meramente informativo sobre apostas desportivascasino e póquer online.
  • O Odds.dog não é nem nunca será uma casa de apostas, em nenhum caso se pode efectuar depósitos ou realizar apostas a dinheiro no Odds.dog. O Odds.dog não opera quaisquer serviços de jogo online. Toda a informação contida no Odds.dog apenas deverá ser usada para fins informativos.
  • O Odds.dog não opera quaisquer serviços de jogo online. Então, toda a informação contida no Odds.dog apenas deverá ser usada para fins informativos.
  • O Odds.dog não garante a precisão das informações contidas no site. A utilização das informações é da responsabilidade única do visitante e utilizador do site. O visitante revela-se com plena capacidade jurídica e reconhece ser o único responsável pelos seus actos e decisões.
  • O conteúdo dos comentários colocados nos artigos e páginas do Website é da inteira responsabilidade do autor, não podendo ser imputada qualquer responsabilidade ao Odds.dog.

Utilização do site

  • A utilização do site Odds.dog destina-se apenas a utilização pessoal. Ou seja, qualquer utilização a nível comercial é expressamente proibida.
  • É proibido publicar, reproduzir, transmitir ou distribuir em qualquer meio ou de qualquer forma, no todo ou em parte, qualquer componente do site Odds.dog, quer seja na forma de composição, gráfica ou de imagem, sem a autorização expressa do Odds.dog.

Modificação Termos de Uso do Odds.dog

  • O Odds.dog reserva-se o direito a modificar os termos de Uso do seu site a qualquer momento. É da responsabilidade do Odds.dog actualizar imediatamente os termos de uso actuais no site.

Jogo Responsável

  • Ser responsável, em relação aos jogos de fortuna ou azar, significa saber se quer jogar, como jogar e quanto dinheiro gastar.
  • Algumas pessoas, que despendem demasiado tempo ou dinheiro nos jogos de azar, podem causar problemas sérios. Antes de jogar, será útil estar informado sobre os potenciais riscos envolvidos no jogo e sobre a forma de lidar com eles.

Características do Jogador Responsável

  • O jogador responsável sabe que o jogo pode ser uma experiência agradável, divertida e com pouco risco de causar danos a si próprio, à família ou aos amigos. Também conhece o conjunto de regras que permitem que assim seja.
  • O Jogador responsável sabe que, apesar de poder ter sorte de vez em quando, a longo prazo acabará por perder dinheiro. Ele sabe que é assim que os jogos funcionam. Então, para ele, uma pequena perda equivale ao custo de um bilhete de cinema ou de uma conta de restaurante.

Um jogador responsável toma as seguintes medidas

  • Certifica-se que conhece todas as particularidades do jogo que irá jogar.
  • Joga para se divertir, não para ganhar dinheiro ou afastar problemas.
  • Decide com antecedência quanto tempo e dinheiro quer gastar.
  • Sabe que na extensão é pouco provável ganhar.
  • Não tenta perseguir ou recuperar as perdas.
  • Joga apenas o dinheiro disponível para o divertimento.
  • Nunca usa dinheiro destinado às despesas mensais, renda da casa ou alimentação.
  • Não pede dinheiro emprestado para jogar.
  • Não permite que o jogo afete as suas relações com a família e os amigos.

Formas de manter o jogo sob controlo

  • Decida antecipadamente com quanto dinheiro vai jogar.
  • Estabeleça um limite de tempo durante o qual vai jogar.
  • Jogue sabendo que é provável que perca mais frequentemente do que ganha – por isso, assegure-se de que está a jogar com dinheiro que não lhe faz falta.
  • Tome decisões com base em conhecimentos – saiba quais são as probabilidades.
  • Considere o jogo como uma diversão – não uma forma de ganhar dinheiro.
  • Se ganhar um grande prêmio, alegre-se! Mas lembre-se que provavelmente não voltará a acontecer.
  • Não jogue quando estiver cansado, aborrecido ou ansioso.
  • Tome nota de quanto tempo e dinheiro está a gastar ao jogar.
  • Leve a sua família e amigos a sério. Se eles estiverem preocupados com o seu hábito de jogo, pode ser porque eles veem algo que você não vê.
  • Use apenas o seu próprio dinheiro para jogar. Não peça emprestado.
  • Compreenda que na maior parte dos jogos não controla o resultado do jogo – é aleatório.
  • Quando joga, faça intervalos – ande a pé, coma, vá à rua para apanhar ar e espairecer.
  • Mantenha a cabeça fria quando joga – limite o consumo de álcool.
  • Equilibre o jogo com outras atividades de lazer.
  • Jogue com alguém que não tenha um problema de jogo.
  • Não crie um problema maior – não tente recuperar o que perdeu.
  • Não leve consigo os seus cartões de crédito e de débito quando vai jogar.
  • Tome as suas próprias decisões sobre o jogo – não jogue porque outros querem que jogue.
  • Não use o jogo para evitar sentimentos ou situações negativas.
  • Fale com alguém em quem confia se está preocupado com o seu hábito de jogo.

AUTO-TESTE

Teste rápido desenvolvido pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para verificar se incorre no risco de ficar dependente do jogo:

  1. Houve alguma vez, nos últimos 12 meses, em que as suas apostas ou o seu jogo interferiram com o seu trabalho ou com as suas responsabilidades na escola, no emprego ou em casa?
  2. Alguma vez, nos últimos 12 meses, em que as suas apostas ou o seu jogo causaram repetidas discussões ou outros problemas graves com a sua família, amigos, vizinhos ou com colegas de trabalho?
  3. Houve alguma vez, nos últimos 12 meses, em que tentou ocultar à sua família ou aos seus amigos o quanto tem jogado?
  4. Já algumas vezes afirmou estar a ganhar quando na realidade estava a perder?
  5. Nos últimos 12 meses, ocorreu-lhe alguma vez ter períodos em que passou demasiado tempo a pensar no jogo, quando na realidade deveria ter estado a pensar noutras coisas?
  6. Nos últimos 12 meses, ocorreu-lhe alguma vez ter períodos em que passou demasiado tempo a planear as suas apostas ou a estudar as probabilidades das apostas, quando na realidade deveria estar a fazer outras coisas?
  7. Com o passar do tempo, teve de aumentar as quantias que ia apostando ou jogando, de forma a manter o jogo emocionante para si?
  8. Houve alguma altura, nos últimos 12 meses, em que as apostas ou o jogo serviam para si como uma forma de sair do mau humor ou para melhorar o seu humor?
  9. Nos últimos 12 meses, ocorreu-lhe alguma vez ter jogado ou apostado frequentemente para escapar ou parar de pensar em problemas pessoais?
  10. No último ano, após ter perdido dinheiro no jogo, deu-se frequentemente o caso de ter voltado a jogar no dia seguinte, para tentar recuperar o dinheiro que perdeu?
  11. Num momento em que tinha uma grande dívida de jogo, ocorreu-lhe apostar cada vez mais na esperança de recuperar as suas perdas?
  12. Alguma vez tentou adquirir dinheiro para o jogo passando cheques sem provisão, roubando ou fazendo alguma coisa que fosse considerada ilegal?
  13. Nos últimos 12 meses, tentou por repetidas vezes pedir dinheiro emprestado à sua família ou aos seus amigos para sustentar os seus hábitos jogo ou para pagar as dívidas de apostas?
  14. Ocorreu-lhe nos últimos 12 meses ter frequentemente um desejo tão forte de jogar e de apostar ao qual não conseguisse resistir ou que o impedisse de pensar noutra coisa?
  15. Nos últimos 12 meses, ocorreu-lhe alguma vez ter apostado, mesmo sabendo que tinha prometido a si mesmo que não o faria, ou então apostar muito mais ou durante um período mais extenso do que aquele que inicialmente pretendia?
  16. Não apenas nos últimos 12 meses, mas ao longo de toda a sua vida, quantas vezes já tentou seriamente reduzir as vezes que joga ou quantas vezes tentou seriamente parar de jogar (nunca; 1; 2; 3; 4; 5; várias vezes)?

Por fim, se respondeu afirmativamente à questão anterior (16):

  1. A tentativa de reduzir as apostas ou parar de apostar fê-lo sentir-se agitado e irritável?
  2. Desde que tentou pela primeira vez reduzir as suas apostas ou parar de jogar, qual foi o período de tempo mais longo que passou sem jogo (anos – meses – dias)?

Quantas mais respostas afirmativas, maiores serão os seus problemas de jogo.

Informação e Ajuda em Portugal

O problema do jogo não se limita à perda de dinheiro – tem a ver também com a forma como pode afetar toda a vida da pessoa.

Informação:
jogoresponsavel.pt

Grupos de inter-ajuda:
jogadoresanonimos-com-pt.webnode.pt

Lembra-te: O jogo a dinheiro é considerado como diversão quando existe controlo e prazer no ato em si; porém, já não é considerado como tal quando implica sofrimento, descontrolo e, consequentemente, a perda da liberdade de decisão.

O Odds.dog está aqui para te ajudar

Então, para finalizar, se consideras que tens um problema com os jogos de azar e/ou apostas desportivas, ou conheces alguém com problemas de jogo, completa ou pede ao teu conhecido que complete o questionário que deixámos acima. Caso o resultado seja indicativo de algum problema subjacente, visita o website do Jogo Responsável Português ou, em alternativa, o website dos Jogadores Anónimos, para os quais te deixámos os links acima e pede ajuda.

O jogo torna-se numa crise quando deixa de ser apenas e só pura diversão e passa a fazer parte de sua vida de forma compulsiva, tornando-se uma dependência. Assim, a expectativa gerada por apostar leva o jogador a ter uma sensação de euforia e prazer.

Ao mesmo tempo, ele começa a achar-se invencível e, por consequência, a acreditar na impossibilidade de derrota, pensando apenas em resultados positivos e na existência de uma boa chance de ganhar o melhor prémio. Quando perde, o jogador dependente costuma voltar às casas de apostas para tentar recuperar o seu dinheiro, acreditando que terá mais sorte da próxima vez.

Em conclusão, não te esqueças que o jogo compulsivo trata-se de uma doença, progressiva por natureza, que não pode ser curada, mas pode ser detida, desde que devidamente identificada. É importante a sociedade deixar de estigmatizar esse tipo de problemas de saúde mental para que a procura de ajuda não seja mais vista como um tabú.

Skip to content